Misericórdia de Vale Besteiros

História

A Quinta dos Laranjais, onde está instalada atualmente a Santa Casa da Misericórdia do Vale de Besteiros, pertenceu outrora a uma Senhora chamada Zéquinha, natural de Castelões, abastada economicamente e sem herdeiros, que a doou à Ordem de Belém com intuito de apoiar crianças. Após o encerramento desta Ordem, a casa passou a pertencer ao Governo Civil de Viseu, e mais tarde, à Santa Casa da Misericórdia de Viseu. Entretanto, um movimento organizado de pessoas dinâmicas da região do Vale de Besteiros, rapidamente se predispuseram a encontrar uma solução para atender às necessidades de famílias com filhos. Foi então, que em Outubro de 1980, começaram a surgir os primeiros movimentos de apoio a crianças em “Jardim-de-Infância” a funcionar no edifício que outrora pertencera à Dª Zéquinha.
O grupo foi trabalhando no sentido de constituir e formalizar a Organização e com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Viseu, nomeadamente na cedência gratuita das Instalações, surge a Santa Casa da Misericórdia do Vale de Besteiros, registada oficialmente no Livro da Irmandade das Misericórdias em 1981. Posteriormente, com o crescendo de novas problemáticas sociais, houve a necessidade de uma amplificação e reorganização do espaço, no qual foram implementadas outras respostas sociais, tal como, Creche, Apoio Domiciliário, Centro de Dia, Lar de Idosos e Lar de Infância e Juventude com acordos formalizados com a Segurança Social.
Atualmente, a Instituição conta com 27 utentes na resposta social de Lar de Idosos, 10 em Centro de Dia, 32 em Apoio Domiciliário, 33 em Creche, 13 em Jardim-de-Infância e Componente de Apoio à Família e 32 na casa de acolhimento residencial convívio jovem. Relativamente ao corpo de colaboradores são 70.

Missão

Responder às necessidades da comunidade através de um conjunto de serviços sociais, educativos e humanitários, promovendo uma melhor qualidade de vida.

Visão

Ser reconhecida como uma Instituição de referência, indispensável à comunidade, através de serviços de qualidade, apostando na inovação e no aumento da capacidade de resposta.

Solidariedade

Estar atento às necessidades sociais da comunidade, ajudando na sua resolução através da prestação dos nossos serviços, de forma humanitária e fraterna perante os nossos clientes e colaboradores.

Confidencialidade

Guardar sigilo das decisões e informações, salvaguardando o superior interesse e bom funcionamento da Instituição.

Igualdade

Tratar os clientes/colaboradores da mesma forma sem olhar à idade, etnia e crenças e dar a todos a mesma oportunidade no acesso aos serviços prestados.

Espírito de missão

Assumir o espírito de dádiva, partilha e voluntariado, de forma a garantir um trabalho de qualidade.

Humildade

Saber estar, aceitando as normas e orientações da Instituição. Saber escutar, criando relações empáticas para melhor atender as necessidades da Instituição e dos nossos clientes.

Serviços

Terceira Idade

As respostas sociais, Lar, Apoio Domiciliário e Centro de Dia, destinam-se ao apoio social a pessoas idosas ou não, quando por motivo de doença, deficiência ou outro impedimento, não possam assegurar temporariamente ou permanentemente, a satisfação das suas necessidades básicas e/ou atividades de vida diária, sendo os seus principais objetivos:

 

  • Contribuir para a melhoria da qualidade de vida do idoso e seus familiares;
  • Prestar cuidados individualizados e personalizados ao idoso, ao nível da satisfação das necessidades básicas e apoio psicossocial, de modo a contribuir para o seu equilíbrio e bem-estar;
  • Fomentar as relações interpessoais entre o idoso e a comunidade, afim de, evitar o isolamento.
  • Aconselhar e dar indicações aos idosos e respetivas famílias na resolução dos seus problemas.
  • Promover a integração social e os direitos de cidadania, estimular o espírito de solidariedade e entreajuda dos utentes e respetivas famílias;
  • Incentivar as relações inter-familiares e inter-geracionais;
  • Colaborar na prestação de cuidados de saúde;
  • Prestar aos idosos todo o apoio necessário para que estes aceitem os seus próprios condicionalismos.
Creche

A resposta social de Creche destina-se a receber, acolher e acompanhar o desenvolvimento das crianças entre os 3 meses e 3 anos de idade, sendo os seus principais objetivos:

  • Proporcionar o bem-estar e desenvolvimento integral das crianças num clima de segurança afetiva e física, durante o afastamento parcial do seu meio familiar, através de um atendimento individualizado;
  • Colaborar estreitamente com a família numa partilha de cuidados e responsabilidades em todo o processo evolutivo das crianças;
  • Colaborar de forma eficaz no despiste precoce de qualquer inadaptação ou deficiência, assegurando o seu encaminhamento adequado;
  • Ajudar as crianças a adquirir um bom nível de expressão e motricidade;
  • Proporcionar-lhes cuidados de higiene e alimentação.
Jardim de Infância

A resposta social de Jardim de Infância destina-se a receber, acolher e a acompanhar o desenvolvimento das crianças entre os 3 e os 6 anos de idade, sendo os seu principais objetivos.

  • Promover o desenvolvimento pessoal e social da criança com base em experiências de vida democrática numa perfectiva de educação para a cidadania;
  • Fomentar a inserção da criança em grupos sociais diversos no respeito pala pluralidade das culturas, favorecendo uma progressiva consciência como membro da sociedade;
  • Contribuir para a igualdade de oportunidades no acesso à escola e para o sucesso da aprendizagem;
  • Estimular o desenvolvimento global da criança no respeito pelas suas características individuais, incutindo comportamentos que favorecem aprendizagens significativas e diferenciadas;
  • Desenvolver a expressão e a comunicação através de linguagens múltiplas como meios de relação, de informação, de sensibilização estética de compreensão do mundo;
  • Despertar a curiosidade e o pensamento crítico;
  • Proporcionar à criança ocasiões de bem-estar e de segurança, nomeadamente no âmbito da saúde individual e coletiva;
  • Proceder à despistagem de inadaptações, deficiências ou precocidades e promover a melhor orientação e encaminhamento da criança;
  • Incentivar a participação das famílias no processo educativo e estabelecer relações de efetiva colaboração com a comunidade.
Casa de Acolhimento Residencial Convívio Jovem

A casa de acolhimento residencial convívio jovem, destina-se a acolher jovens em situação de perigo,(art,3º, da Lei 147/99 de 1 de Setembro, Lei de Proteção de crianças e jovens em perigo), garantindo os cuidados adequados ás suas necessidades e proporcionando condições que promovam os direitos das crianças consagrados na Convenção dos Direitos da criança nomeadamente o direito à educação, bem estar e desenvolvimento integral, sendo os seus principais objetivos:

  • Promover a reintegração do jovem na família sempre que possível;
  • Proporcionar aos jovens a satisfação de todas as necessidades básicas em condições de vida tão aproximadas quanto possível às da estrutura familiar e a satisfação das necessidades específicas decorrentes do acolhimento em meio institucional;
  • Proporcionar os meios que promovam a sua valorização pessoal, social, escolar e profissional;
  • Avaliar a situação do jovem, definindo o projecto de vida e elaborando o plano de intervenção individualizado que melhor corresponda ao seu superior interesse.

Esta Santa Casa já possui Livro de Reclamações Eletrónico, em caso de necessidade aceda ao livro de reclamações online. Para qualquer questão contacte por favor a linha de apoio ao livro de reclamações (217998010).

Morada:

Rua do Infantário 14, 3465-129
Castelões, Tondela
Viseu

Telefone:

232851878

Email:

misericordiavalebesteiros@hotmail.com